Manuel Cargaleiro

DOCUMENTÁRIO

Protagonizado pelo Mestre e com participações que vão de historiadores de arte a arquitectos, do vereador da cultura da câmara de Paris à sua galerista francesa, o documentário “O Fazer de Cargaleiro” é uma viagem à sua intimidade.

O Fazer de Cargaleiro

Uma viagem à intimidade de um dos mais consagrados artistas plásticos portugueses. Multifacetado, prolífico, um dos artistas mais procurados (e falsificados) em leilões, orgulhoso cidadão do Seixal e habitante parisiense há seis décadas, Manuel Cargaleiro permaneceu igual a si próprio na busca pela luz, na positiva obsessão pela harmonia das cores com a vontade de trazer alegria ao olhar de quem convive com a sua obra. 

Protagonizado pelo Mestre e com participações que vão de historiadores de arte a arquitetos, do vereador da cultura da câmara de Paris à sua galerista francesa, o documentário de Ricardo Clara Couto e Luís Filipe Borges é uma viagem à intimidade de quem diz “Sou o Manel e mais nada. Estou ali, na minha obra. Aquilo sou eu. E em todo o caso, isso basta-me”.

Manuel Cargaleiro nasceu em Vila Velha de Ródão, a 16 de março de 1927, e foi na infância que descobriu a arte da cerâmica. No princípio dos anos 50 começou a participar em mostras e exposições em Portugal e é nesta década que recebe os primeiros prémios artísticos. Estudou em Itália e França e ao longo da vida participou em inúmeras exposições por todo o mundo, coletivas e individuais. O seu trabalho foi mostrado em cidades como Genebra, Milão, Lausana, Paris, Brasília, Lisboa, Portalegre ou Reims. Para além da cerâmica, do desenho e da pintura, Cargaleiro dedicou-se também, no final do século XX, à tapeçaria.

Ficha Técnica

Arquivo RTP
Maria de Fátima Ribeiro

Produtor Delegado RTP
Rui Madruga

Autoria
Luís Filipe Borges
Ricardo Clara Couto

Produção
Clara Amarela Films

Realização
Ricardo Clara Couto

Argumento
Luís Filipe Borges

Pesquisa
Fátima Morais
Luís Filipe Borges
Luís Hipólito
Ricardo Clara Couto

Entrevistas
Luís Filipe Borges
Luís Hipólito

com
Manuel Cargaleiro
Hermano Sanches Ruivo
Hélène Bailly
Hugo Ferrão
Álvaro Siza Vieira
Alexandre Pais
Fernando Baptista Pereira
Marina Bairrão Ruivo
José Augusto França
Manuel Pires

Direção Financeira
Mónica Reis de Castro

Direção de Produção
Luís Hipólito

Produção
Maria Valverde

DOP
Ricardo Clara Couto

Assistente de Imagem
Carlos Góis
Daniel Nicolau
João Apolinário
João Ramos

Edição
Ricardo Clara Couto
Maria Inês Carrola

Conceção Visual
Maria Inês Carrola
Milene Carvalho
Ricardo Clara Couto

Motion Artists
Beatriz Lopes
Milene Carvalho
Paulo Lopes

Voz Off
Luís Filipe Borges

Poema
Ricardo Reis, Ode

Áudio
Bernardo Castel-Branco
Hugo Martins
Tito Pires

Pós-Produção de Áudio
Le Bastardo

Música Genérico
Le Bastardo, O Mestre

Músicas
Bach, Cello Suite No.1, Prélude
Edith Piaf, La Vie En Rose
Dockelektro, Sunset in Lisbon
Jacob Denny, Saudade
Bach, Cello Suite No.1, Prélude, Ophélie Gaillard
Jacques Brel, Quand on a que l’amour
Edith Piaf, Milord

Agradecimentos
Museu – Fundação Manuel Cargaleiro
Isabel Brito da Mana
Câmara Municipal de Paris
Metropolitano de Paris
Oficina das Artes
Museu Nacional do Azulejo
Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva
Faculdade de Belas Artes de Lisboa
Galeria Héléne Bailly
Galeria Raymond Dreyfus
Caulino Atelier de Cerâmica
Escola Secundária Manuel Cargaleiro
Arquitecto João Teixeira
Cristina Azevedo Tavares
Isabel Nunes
Maria do Carmo Lobato
Maria Antónia Pinto Matos
Cátia Pessoa
Paulo Parreira
Alberto Monteiro
Alexandra Praça
Ana Juncal
Ana Leal
Ana Rego
Anabela Gomes
Carina Mendes
Marcelina Lopes
Maria Gouveia
Maria Sá Nogueira
Maria Silva
Marta Antunes
Paulo Rodrigues
Raquel Proença
Vitor Prata